quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Eu não sei Escrever!



Ontem fui escrever no meu diário.. eu tenho o bom e velho diário sim.. mas não é diário porque não escrevo todos os dias! kkkk
Só quando preciso desabafar coisas mais sérias...
E adivinha?!
Um garrancho!
Meu Deus! Minha letra está um horror!
Nossa.. tentei escrever bonitinho (desculpa a modéstia, mas minha letra é uma graçinha) e não deu!
Garrancho! Pior que letra de médico..
Ave MAria!

Terei que voltar para o caderno de caligrafia?
Mas a culpa não é minha... é esse danado de teclado..
Já pensou se existisse um caderno que ao digitar sairia as letras e tal.. seria belo e rápido!
POxa! que viagem!

kkkkk

Bom, eu adoro escrever!
Só que ontem as juntinhas dos dedos começaram a doer, a letra saiu escrota e eu fiquei impaciente porque escrever demora... tem que desenhar as letrinhas!

A modernidade! Essa tal de modernidade...

Que isso!
Tô surtando só pode.. Como que uma coisa que adoro me incomoda agora só porque tenho que fazer um esforçinho de nada!

Acho que vou voltar para o caderno de Caligrafia!
Ou escrever mais!
Até parar com essa besteira.. ou jogar o caderno fora e me render aos encantos da tecnologia e atrofiar os dedos!
:P

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Tem gente...



"Tem gente que chega pra ficar

Tem gente que vai pra nunca mais

Tem gente que vem e quer voltar

Tem gente que vai e quer ficar

Tem gente que veio só olhar

Tem gente a sorrir e a chorar

E assim chegar e partir"


(Maria Rita)

___________________



Nunca tinha prestado a devida atenção à musica "Encontros e Despedidas" de Maria Rita. Ela é triste! Ela é a realidade!
E nesse final de ano é que percebemos quantas pessoas conhecemos e que poderão se encaixar ou não nas definições da canção...
Dá medo de imaginar que não posso ver nunca mais um ente querido.. é o tal mistério da vida!
Já pensou se todos nós soubessemos quando iríamos morrer?
Que graça teria?
Esse mistério todo deve ser para que possamos cultivar a bondade e os momentos de felicidade. Essa foi a 'sacada' de Deus..
Tipo: "aproveita da melhor forma, viu cidadão?! Valoriza quem está ao seu lado e quem te ama.." Se não foi isso... foi quase isso!
Para esse final de ano espero que as pessoas valorizem mais umas as outras e aproveitem cada momento, pois se prestarmos (uma sútil) atenção "a hora do encontro é também da despedida"...

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Além do Tempo

de Vinicius de Moraes para seu homônimo... sinto falta da presença...

_______________

Além do tempo
Esse amor sem fim, onde andará?
Que eu busco tanto e nunca está
E não me sai do pensamento
Sempre, sempre longe
Esse amor tão lindo que se esconde
Nos confins do não sei onde
Vive em mim além do tempo
Longe, longe, onde?
Por que não me surges nessa hora
Como um sol
Como o sol no mar
Quando vem a aurora
Esse amor que o amor me prometeu
E que até hoje não me deu
Por que não está ao lado meu?
Esse amor sem fim, onde andará?
Esse amor, meu amor,
Onde andará?

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Blindness - Se não viu, não leia!


Ontem assisti ao filme “Ensaio sobre a Cegueira” do Fernando Meirelles e baseado na obra homônima de José Saramago. Fui com a Hellenzinha!
O filme conta a história de uma cidade devastada por uma epidemia instantânea de "cegueira branca". Este surto misterioso, leva os infectados a ficar de quarentena num hospital abandonado. Sem soluções do mundo exterior para solucionar a praga, a nova sociedade de cegos entra em colapso, com os mais fortes fisicamente a controlarem os mais fracos. No meio da cegueira há uma testemunha ocular deste pesadelo. Uma mulher (Julianne Moore), cuja visão não foi afectada por esta praga e que acompanhou o seu marido (Mark Ruffalo) cego para hospital abandonado.
Dai começa a desgraça toda... afff..

Bom, o que achei?
Sai confusa... Poxa vida que loucura!
Sei lá... Senti-me no lugar deles! O diretor soube trabalhar a fotografia, a sonoplastia, as imagens, as cores... Enfim! Você fica ‘cego’ em alguns instantes e passa a viver dentro do filme! Uma sensação aterrorizante, porém cheia de curiosidade...
No final, moral da história: o povo volta a enxergar e o narrador diz uma frase que me tocou muito: “E ela começou a ficar cega”.
Discuti do cinema até o boteco mais próximo com Hellen sobre o filme e a meu ver entendi que, quando a população ficou cega, eles passaram a se conhecer melhor, sem fazer jus de características físicas e sim, a pessoa como ela é... Eles foram eles mesmos, e não quem pareciam ser!
No caso da frase “E ela começou a ficar cega” não foi só ela, todos voltariam a viver na escuridão do seu individualismo, arrogância e vida ‘moderna’.

Se alguém assistiu e tem outra opinião... Por favor... Vamos discutir! :D

Ahhh ... quem quiser me dar de presente de Natal o livro, viu?! Fiquem à vontade!
O filme mecheu tanto comigo que quero ler o livro... ahhh se quero!

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Li e Gostei!

Nesse clima de final de ano alguns textos nos ajudam..
Bom, li e gostei desse aqui..

_______________________

Desconstruir para Construir

Às vezes, é necessário pôr a casa abaixo para reconstruí-la em bases mais fortes para suportar as intempéries. Feito isso, abrigamo-nos com mais segurança e desfrutamos de maior conforto. Assim também é com a nossa casa interior, se nos sentimos inseguros dentro dela, se somos alvos do medo, da apreensão, enfim, se nos sentimos desconfortáveis conosco mesmos é sinal de que algo não está bem em nossa estrutura, naquilo que nos mantêm ou nos nutre. Então, é nesse momento que necessitamos parar para conferir como verdadeiramente estamos interiormente, é chegada a hora de nos fazermos algumas perguntas acerca dos valores ou crenças que têm norteado a nossa lide existencial.


Caminhos bons existem, mas, muitos preferem atalhos na esperança de seguir mais depressa. Porém, ante o inesperado da desconhecida trilha, são estes mesmos atalhos que os perdem de si e da própria vida, muitas das vezes numa passagem de ida sem volta. É fácil culpar o imprevisível ou a má orientação externa pelas quedas e fracassos, o mais difícil talvez seja responsabilizar-se pelas escolhas ou, no mínimo, ter a humildade de reconhecer os desacertos.

Desconstruir-se, então, significa revelar-se por inteiro para si mesmo, para conscientemente e com presteza iniciar um processo de eliminação e desapego de tudo quanto foi assimilado de negativo em nível de padrão existencial e comportamental. Para alguns pode até ser penoso desligar-se de antigas crenças, vícios, deficiências, ilusões e valores inadequados, mas, não há outro caminho que não seja este para por fim ao que causa sofrimento e frustrações comprometendo a vida e o bem-estar que se deseja. O verdadeiro e profundo transformar-se passa, inevitavelmente, por esta invulgar vivência de superação de si mesmo, uma vez que reside interiormente toda a base da conduta humana.

Feito isto, se inicia uma nova construção da vida baseada em posturas seletivamente conscientes, produtivas e saudáveis, onde a humildade em aprender a cada dia e a perseverança devem direcionar os fazeres de forma progressiva e constante.
Nesse construir de novo há que existir espaço não só para as realizações do corpo e da materialidade, mas há que se pensar também em alimentar a alma, o espírito e tudo quanto seja também proveitoso e motivador para aqueles que se encontram à nossa volta, às vezes, esperançosos por uma luz que os despertem também para um novo modo de viver.

Boa Reflexão para você.

Willes da Silva
willesterapeuta@bol.com.br
Psicoterapeuta, Atendimento Terapêutico, Palestras e Cursos Motivacionais.

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Obama Presidente!


Sempre me perguntei se um dia estaria viva para ver ‘certas mudanças’ e isso aconteceu! Vi ser eleito o primeiro presidente negro dos EUA! E logo dos Estados Unidos da América!
Hoje pela manhã ao chegar ao trabalho a primeira coisa que escuto: - Agora lascou tudo, tem um presidente negro no poder. Porque negro se não cága no começo, no final é certeza! Ai que ódio! E falou isso na maior graça e todo mundo sorrindo, menos eu que sou negra. Tirando os preconceitos de lado, porque se eu for brigar toda vez que fazem isso, passo a vida toda e não mostro meu verdadeiro valor, o qual não é medido pelo cor de qualquer ser humano.
Agora, uma coisa é certa: Estou feliz e fico feliz! Obama venceu! Por mais que eu finja não vê o racismo velado em nossa sociedade, ele está ai, firme e forte. Muitas vezes, nós, os negros, somos racistas e muito! Mas tudo bem, vamos falar do Obama e meu sonho em ver um presidente americano negro!
Nossa! Os guetos devem está uma festa só, os mais pobres, os latinos, ou seja, toda a maioria menos (muito menos) favorecida.
Lembro que assisti filmes em que a segurança nacional (aliens, terroristas, golpes de estado...) estava em jogo e quem era o presidente? - Um negão 2x2! Ohhh maravilha!
E ele resolvia tudo!
Não sei se é um dejavú ou simplesmente que a mudança chegou*, mas estou gostando disso! Agora é esperar para ver, mas não no sentido pejorativo, e sim com esperança e credo que realmente “a mudança chegou” e que tempos melhores virão e as diferenças serão respeitadas e o ser humano valorizado pelo que é.

* fala do presidente eleito Barack Obama

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Orgulho Besta...

Acabou o ano!
Nossa como passou rápido... E muito!
Mas ainda não é tempo de fazer retrospectiva.
Quero falar do orgulho próprio e o quanto esse sentimento pode ser ruim em determinadas situações.
Quantas vezes discuti com quem eu mais amo por causa do orgulho próprio.
Sempre escutamos que não devemos ceder. Não deixar a ‘peteca’ cair. Ficar na melhor posição e sempre a correta. Não deixar-se envolver. Não redimir. Não e não.
O orgulho nos consome todos os dias. E o que custa pedir desculpas? Aceitar que errou? Dar o braço a torcer? Submeter-se?
È difícil. Eu sei.
E como sei...
Não coloco culpa na sociedade por eu ser assim tão orgulhosa, porque existe uma grande diferença em SER orgulhosa e ESTAR orgulhosa: quando você É orgulhosa isso é ruim, pois te faz ser uma pessoa totalmente individualista e ‘sem coração’, ou seja, o mundo que se exploda eu sou mais eu. Já quando você ESTÁ orgulhosa com alguma coisa, você está feliz por ter conseguido isso, e por mais que possa parecer uma atitude individualista, não é!
Tudo bem, esse rodeio todo que eu fiz foi só para dizer o que penso sobre o orgulho, melhor dizendo, o que penso ‘agora’ sobre o orgulho.
Tento não ser tão orgulhosa. E sei que posso perder muitas pessoas por causa desse meu orgulho besta (é besta mesmo), pois muitas vezes nos valorizamos demais em detrimento do outro e esse outro pode ser a pessoa que realmente te faz feliz e que pode te ajudar a deixar de ser menos orgulhoso.
Deu para entender?
Bom, ninguém é perfeito. Não podemos julgar. Não somos melhores Não devemos magoar ninguém. E, se algum dia isso acontecer de novo, não deixe que o seu orgulho impeça a sua felicidade.
È isso...
Recado dado.

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Ser o que é!




“Deus está presente! Tudo passará! Todas as tuas angústias e aflições passarão, mas só o amor de Deus ficará! Ele é teu consolo e teu guia. Peça ajuda a Ele e tudo terás, pois devemos buscar primeiro o reino de Deus, porque a partir daí tudo mais será acrescentado em nossas vidas.”
Essas foram as palavras do padre ontem na missa na Casa de Maria. Nunca tinha ido lá. E olha que morei aqui por quatro anos antes de retornar esse ano. E foi perfeito! Tocou no fundo do meu coração. As palavras, as músicas... Parece coincidência, mas tudo tinha sentido e principalmente, me mostravam o caminho a seguir.
Quando ficamos sozinhos é que percebemos o valor de Deus na nossa vida. E sempre que estou mais ‘perto’ Dele as ‘coisas’ acontecem e chegam a sua plenitude.
Às vezes sofria por algo que nem sabia o motivo, hoje, percebo que foi a ausência de Deus na minha vida.
Refletindo ao pegar o ônibus de volta para casa, entendi que ao ficar mais perto de Deus, fico mais perto da minha família.
Sinto falta da minha família. Todos juntos no mesmo lar.
Rindo, discutindo, comendo, brincando e sempre juntos.
Hummmm... Aquela macarronada para o almoço de sábado que só minha mãe sabe fazer e o churrasquinho que só meu pai sabe assar e temperar. Saudade de quando meu irmão conta dos seus sonhos e minha irmã conta dos pacientes que atendeu (não gosto muito dessa parte, mas ela fala tão empolgada que acho o máximo) e de quando estou deitada em um sofá e meu pai no outro e ele fica estalando meus dedos do pé.
Estou com saudades!
De quando minha mãe pára tudo e vai assistir à novela das 18h e eu estou ao seu lado. Meu irmão vai jogar bola na rua e volta morrendo de fome. Meu pai vai para o barzinho da esquina saber ‘as novidades’ do bairro. De ficar deitada na rede com minha irmã planejando nossa viagem em 2010 pelo nordeste, no Doblô da Rennata (prima) e sem dia certo para nada...
A rotina do dia-a-dia nos afasta de quem realmente amamos e os quais são fundamentais para você ser o que você é. Preciso reencontrar o meu Norte! Nem que seja por um final de semana. Vou para perto da minha família, tudo bem que está esfacelada por causa da busca de cada um por seus sonhos, mas eles estarão sempre lá...
Vivemos na fantasia. Dentro de uma redoma de vidro, onde só trabalhamos e voltamos para casa. Algumas pessoas têm seus namorados... Enfim, tem alguém para dividir essa redoma, mas é quando estamos entre a nossa família é que realmente somos o que somos.
Já que estou longe da minha família e não tenho mais namorado, não posso ficar nessa redoma sozinha. Preciso de Deus por perto, porque assim posso viver na plenitude e contar com o colo da minha mãe, o abraço apertado do meu pai, o carinho da minha irmã e o sorriso do meu irmão sentidos através de uma oração.

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Verissimo: um romântico!

Não sei o titulo do texto abaixo, mas gostei muito! Um dia uma pessoa muito especial me disse que Luis Fernando Verissimo era um romântico e que a verdade estava mesmo com Vinicius de Moraes. Sinto falta dessa pessoa na minha vida e nas minhas conversas, cafunés, sonhos... Boa leitura!


_______________________________________________

Certo dia parei para observar as mulheres e só pude concluir uma coisa: Elas não são humanas. São espiãs. Espiãs de Deus, disfarçadasentre nós. Pare para refletir sobre o sexto - sentido. Alguém duvidade que ele exista? E como explicar que ela saiba exatamente qual mulher, entre as presentes, em uma reunião, seja aquela que dá em cima de você? E quando ela antecipa que alguém tem algo contra você, que alguém está ficando doente ou que você quer terminar o relacionamento? E quando ela diz que vai fazer frio e manda você levar um casaco? Rio de Janeiro, 40 graus, você vai pegar um avião pra São Paulo. Só meia -hora de vôo. Ela fala pra você levar um casaco, porque "vai fazer frio". Você não leva. O que acontece? O avião fica preso no tráfego, em terra, por quase duas horas, depois que você já entrou, antes de decolar. O ar condicionado chega a pingar gelo de tanto frio que faz lá dentro! "Leve um sapato extra na mala, querido. Vai que você pisa numa poça..." Se você não levar o "sapato extra", meu amigo,leve dinheiro extra para comprar outro. Pois o seu estará, sem dúvida, molhado... O sexto - sentido não faz sentido! É a comunicação direta com Deus! Assim é muito fácil... As mulheres são mães! E preparam, literalmente, gente dentro de si. Será que Deus confiaria tamanha responsabilidade a um reles mortal? E não satisfeitas em gerar a vida, elas insistem em ensinar a vivê-la, de forma íntegra, oferecendo amor incondicional e disponibilidade integral. Fala-se em "praga de mãe", "amor de mãe", "coração de mãe"... Tudo isso é meio mágico... Talvez Ele tenha instalado o dispositivo "coração de mãe" nos "anjos da guarda" de Seus filhos (que, aliás, foram criados à Sua imagem e semelhança). As mulheres choram. Ou vazam? Ou extravasam? 'Homens também choram, mas é um choro diferente. As lágrimas das mulheres 'têm um não sei quê que não quer chorar, um não sei quê de fragilidade, um não sei quê de amor, um não sei quê de tempero divino, que tem um efeito devastador sobre os homens... É choro feminino. É choro de mulher...Já viram como as mulheres conversam com os olhos? Elas conseguem pedir uma a outra para mudar de assunto com apenas um olhar. Elas fazem um comentário sarcástico com outro olhar. E apontam uma terceira pessoa com outro olhar. Quantos tipos de olhar existem? Elas conhecem todos... Parece que freqüentam escolas diferentes das que freqüentam os homens! E é com um desses milhões de olhares que elas enfeitiçam os homens. ' En-fei-ti-çam! E tem mais! No tocante às profissões, por que se concentram nas áreas de Humanas? Para estudar os homens, é claro! Embora algumas disfarcem e estudem Exatas... Nem mesmo Freud se arriscou a adentrar nessa seara. Ele, que estudou, como poucos, o comportamento humano, disse que a mulher era "um continente obscuro". Quer evidência maior do que essa? Qualquer um que ama se aproxima de Deus. E com as mulheres também é assim. O amor as leva para perto dele, já que Ele é o próprio amor. Por isso dizem “estar nas nuvens", quando apaixonadas. É sabido que as mulheres confundem sexo e amor. E isso seria uma falha, se não obrigasse os homens a uma atitude mais sensível e respeitosa com a própria vida. Pena que eles nunca verão as mulheres - anjos que têm ao lado. Com todo esse amor de mãe, esposa e amiga, elas ainda são mulheres a maior parte do tempo. Mas elas são anjos depois do sexo - amor. É nessa hora que elas se sentem o próprio amor encarnado e voltam a ser anjos. E levitam. Algumas até voam. Mas os homens não sabem disso. E nem poderiam. Porque são tomados por um encantamento que os faz dormir nessa hora... (Luis Fernando Veríssimo)

terça-feira, 28 de outubro de 2008

OLHA A MULHER AÍ!

_ Meu filho, cuidado com a mulher!

Nossa depois que escutei isso me senti tão velha! Tão... OLHA A MULHER AÍ!
Porque até pouco tempo, para minha cabeça, a MULHER AI, era minha mãe, tias... Sei lá.. Gente casada e com filhos. Não pode chamar de MOÇA, não?
Poxa! Nem aliança no dedo eu tenho, enrugada não estou, estrias ainda não, só pode ser o óculos! Acho que são os óculos!
Engraçado... Esses dias eu me gabava por ser mulherona, mas se você analisar o termo, não é mulherona fisicamente, mas sim, psicologicamente. Essa MULHER sim, eu quero ser. Mas aquela MULHER AÍ, não!
E para piorar, não é o OLHA A MULHER AÍ, e sim, o TIA...
Principalmente quando vêm aquelas ‘aborrecentes’ de 14 anos de idade que pensam porque estão no ultimo ano do ensino fundamental são ‘gente grande’. Vai nessa! Eu posso falar com propriedade porque passei por essa fase.
Estava linda, morena e jovial com meus 22 anos (ainda não tinha passado meu aniversário) ministrando uma oficina e uma ‘pentelha’ dessas me chama de TIA! Só virei educadamente como uma lady e disse: _Querida, meus irmãos não tem filhos!
(Um pequeno parêntese: quando chamo qualquer criatura de ‘Querida’ nunca pense que naquele momento tenho pensamentos bondosos... nunca serão!)

Não gosto de adolescente e principalmente as patricinhas adolescentes! Menos minhas primas que sabem como eu sou... Acho que por isso nunca conversam abobrinhas comigo e sempre pedem conselho quando necessário (ou não).

Tá! Estou parecendo uma TIA falando das minhas primas, mas poxa, elas podem, né?! São da família! Agora uma ‘guria’ que nunca vi mais anoréxica na vida me chamar de TIA?! Pra cima de moi, negativo!

E esse lance de OLHA A MULHER AÍ! Isso é chato!
Generaliza demais! Eu não sou a MULHER AÍ! Sou a Poliana Macedo, 23 anos, jornalista, solteira entre outros atributos!

Sou mais moleca do que mulher, não sou menina, sou moça (ainda não casei), mas isso é texto para outro dia!

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Mulherona venceu!





E ela voltou!
Tenho medo.

Mas voltou machucada e com vontade de não errar novamente (em tudo).
Vontade de não se envolver mais.
Vontade de aproveitar a vida e não da vida aproveitar-se dela.

Mulherona.. mulherona!

Tuas noites solitárias estão de volta e teu ego será tua única companhia (ou não).

Toda Mulherona sabe que depois de ser Mulherzinha, nunca será Mulherona 100%!


Na verdade, ela não voltou.

Está em transe.
Suspensa no ar.
Sem tomar decisões.
Sem sofrer com nada.

Colocando todos os seus sentimentos numa caixinha.


E tentando ser Mulherona de novo..


p.s: quer saber porquê desse termos... leia logo mais abiaxo o texto "Mulherzinha ou Mulherona?"

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

ABBA .. obrigada pai!





Meu presente do Dia das Crianças (apesar de não ser mais uma) foi relembrar minha infância ao assistir o filme Mamma Mia! acompanhada do meu amigo Sóstenes (louco)...

Poxa.. não lembrava o quanto sou fã de ABBA e é por causa do meu pai!

Ele tem o vinil do ABBA Gold! E já vou pleitear como parte da minha herança!

O filme é fantástico! As múscias do ABBA são tudo de bom!

Não vou esconder: eu dançei sentada, cantei e ainda na volta para casa, eu e Sóstenes caminhamos uns 3 km ou mais só conversando sobre o filme e relembrando os passos do musical!

Perfeito!

Sabe quando você assiste um filme e ele faz muitoooo bem para sua energia?!

Recomendo.. assistam Mamma Mia! O cenário é magnifico, a fotografia é fantástica e a trilha é ABBA!


Não consegui incorporar o trailer do filme, mas ai vai o link com as principais músicas:

http://br.youtube.com/watch?v=v3yIVk61160&feature=related

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Tempo





Me pergunto hoje... (e enquanto durar)
Quanto tempo demora um 'tempo'?
Tempo pode significar uma fração de segundo, minuto, hora, dia, semana, mês, anos, décadas... eternidade?
Tempo é vago.
Tempo não existe.
Tempo é cruel para quem espera esse tempo acabar.
Tempo é chato.
Tempo não é senhor da razão! É o pai da loucura!
Tempo não é exato. (E vejam só, sou da area de humanas!)
Tempo dói.
Tempo, tempo, tempo...
Não farei que nem Caetano, nem seguirei as rimas do seu estilo, concordando com o Tempo...

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Mulherzinha ou Mulherona?





Qual o ponto exato para que uma mulher saiba equilibrar seu lado mulherzinha e seu lado mulherona? Procuro nas caraminholas da minha cabeça responder isso todos os dias. Mas que diacho é ser mulherzinha ou mulherona?

A mulherzinha é aquela que se rende aos encantos do amor, é carinhosa e atenciosa com o seu amado, faz de um tudo para lhe agradar, cede, ama, sonha e sofre. Ahhh... como a mulherzinha sofre por amor! Qualquer palavrinha, olhar, gesto que seu amado lhe profere e que não seja de bom tom, ela sofre.

A mulherona não! Jamais passará isso por sua mente! A mulherona é independente, proativa, objetiva, sem sentimentalismos e principalmente, focada nos seus PLANOS! Porém, a mulherona vive sozinha. Não tem amor, não tem cafuné todos os dias e não tem com quem se preocupar. E nem adianta dizer que o gato ou cachorro que ela comprou resolve tudo. E a pele? Onde fica aquela sensação de troca de energia com outra pessoa? Não tem, não é mesmo, mulherona?

As mulheronas estudam demais, trabalham demais, malham demais, ‘pegam’ caras demais e amam de menos. Esses dias, durante minhas aulas da pós, pude perceber que a maior parte das minhas professoras doutoras são sozinhas e vivem em crise, por exemplo, uma delas não sabe se faz o PHD, coloca aparelho nos dentes ou tem um filho! Ahhh... Essa aí conseguiu casar e não se separou (ainda)!

Já as mulherzinhas conseguem casar com quem gostam, têm filhos, trabalham e creio eu que são felizes porque quiseram isso para si. E eu, singela mulher, estou na fase dessa decisão. Ser mulherzinha ou mulherona?

Assim que entrei na faculdade tive minha fase mulherona e achava o máximo! Curtir! Curtir e Curtir! Essa era a ordem! Daí, fiquei ‘quase’ mulherzinha, mas a pessoa não merecia conhecer meu lado mulherzinha (ainda)... Pois é, formei e continuei meio mulherona e meio mulherzinha. E essa pessoa apareceu novamente e me decidi que era hora de ser a mulherzinha. E fui (sou)!

Só que de vez em quando a mulherona quer voltar com força total, mas a mulherzinha fala no meu ouvido: “Do que adianta você viver uma noite de curtição se em todos os outros dias você ficará sozinha?”. E me lembro da solidão que sempre acompanha a mulherona, onde ela afoga esse sentimento nos livros, nos gatos, nos cachorros, no cigarro, no blog...

Ahh.. Como é difícil isso, não é? E penso também, que as mulheronas já foram mulherzinhas um dia, o problema é que sofreram demais por amor de alguma pessoa e desistiram.

Só sei que toda mulher nasceu para amar (até quando não é amada) e o caminho que vou seguir: mulherzinha ou mulherona, só as atitudes que eu tomar e por incrível que pareça que certa pessoa se decida, é a partir daí, que eu vou saber. Vou sim...



(Poliana Macedo)

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Verissimo: um romântico!

Não sei o titulo do texto abaixo, mas gostei muito!
Um dia uma pessoa muito especial me disse que Luis Fernando Verissimo era um romântico e que a verdade estava mesmo com Vinicius de Moraes.
Sinto falta dessa pessoa na minha vida e nas minhas conversas, cafunés, sonhos...

Boa leitura!
_______________________________________________

Certo dia parei para observar as mulheres e só pude concluir uma coisa: Elas não são humanas. São espiãs. Espiãs de Deus, disfarçadasentre nós. Pare para refletir sobre o sexto - sentido. Alguém duvidade que ele exista? E como explicar que ela saiba exatamente qual mulher, entre as presentes, em uma reunião, seja aquela que dá em cima de você? E quando ela antecipa que alguém tem algo contra você, que alguém está ficando doente ou que você quer terminar o relacionamento? E quando ela diz que vai fazer frio e manda você levar um casaco? Rio de Janeiro, 40 graus, você vai pegar um avião pra São Paulo. Só meia -hora de vôo. Ela fala pra você levar um casaco, porque "vai fazer frio". Você não leva. O que acontece? O avião fica preso no tráfego, em terra, por quase duas horas, depois que você já entrou, antes de decolar. O ar condicionado chega a pingar gelo de tanto frio que faz lá dentro! "Leve um sapato extra na mala, querido. Vai que você pisa numa poça..." Se você não levar o "sapato extra", meu amigo,leve dinheiro extra para comprar outro. Pois o seu estará, sem dúvida, molhado... O sexto - sentido não faz sentido! É a comunicação direta com Deus! Assim é muito fácil... As mulheres são mães! E preparam, literalmente, gente dentro de si. Será que Deus confiaria tamanha responsabilidade a um reles mortal? E não satisfeitas em gerar a vida, elas insistem em ensinar a vivê-la, de forma íntegra, oferecendo amor incondicional e disponibilidade integral. Fala-se em "praga de mãe", "amor de mãe", "coração de mãe"... Tudo isso é meio mágico... Talvez Ele tenha instalado o dispositivo "coração de mãe" nos "anjos da guarda" de Seus filhos (que, aliás, foram criados à Sua imagem e semelhança). As mulheres choram. Ou vazam? Ou extravasam? 'Homens também choram, mas é um choro diferente. As lágrimas das mulheres 'têm um não sei quê que não quer chorar, um não sei quê de fragilidade, um não sei quê de amor, um não sei quê de tempero divino, que tem um efeito devastador sobre os homens... É choro feminino. É choro de mulher...Já viram como as mulheres conversam com os olhos? Elas conseguem pedir uma a outra para mudar de assunto com apenas um olhar. Elas fazem um comentário sarcástico com outro olhar. E apontam uma terceira pessoa com outro olhar. Quantos tipos de olhar existem? Elas conhecem todos... Parece que freqüentam escolas diferentes das que freqüentam os homens! E é com um desses milhões de olhares que elas enfeitiçam os homens. ' En-fei-ti-çam! E tem mais! No tocante às profissões, por que se concentram nas áreas de Humanas? Para estudar os homens, é claro! Embora algumas disfarcem e estudem Exatas... Nem mesmo Freud se arriscou a adentrar nessa seara. Ele, que estudou, como poucos, o comportamento humano, disse que a mulher era "um continente obscuro". Quer evidência maior do que essa? Qualquer um que ama se aproxima de Deus. E com as mulheres também é assim. O amor as leva para perto dele, já que Ele é o próprio amor. Por isso dizem “estar nas nuvens", quando apaixonadas. É sabido que as mulheres confundem sexo e amor. E isso seria uma falha, se não obrigasse os homens a uma atitude mais sensível e respeitosa com a própria vida. Pena que eles nunca verão as mulheres - anjos que têm ao lado. Com todo esse amor de mãe, esposa e amiga, elas ainda são mulheres a maior parte do tempo. Mas elas são anjos depois do sexo - amor. É nessa hora que elas se sentem o próprio amor encarnado e voltam a ser anjos. E levitam. Algumas até voam. Mas os homens não sabem disso. E nem poderiam. Porque são tomados por um encantamento que os faz dormir nessa hora...

(Luis Fernando Veríssimo)

Discurso de Deus à Eva

Esses dias meu lado feminino está à tona, deve ser alguma das fases da minha TPM. Neste final de semana, durante minha aula de Comunicação e Cultura da minha pós-graduação, foi-nos apresentado esse texto abaixo.
Gostei e no mesmo momento pensei: _ será publicado no meu blog!
Sei que muitas pessoas já fizeram isso, mas cada uma teve seu público. Agora, o texto 'Discurso de Deus à Eva' servirá ao meu público! : D

Boa leitura e espero que gostem...




_____________________

Discurso de Deus à Eva


"... Eva, de repente, descobrindo uma bela cascata, resolveu tomar um banho de rio. A criação inteira veio então espiar aquela coisa linda que ninguém conhecia. E quando Eva saiu do banho, toda molhada, naquele mundo inaugural, naquela manhã primeval, estava realmente tão maravilhosa que os anjos, arcanjos e querubins, ao verem a primeira mulher nua sobre a Terra, não se contiveram, começaram a bater palmas e a gritar, entusiasmados: "O AUTOR! O AUTOR! O AUTOR!".

"P.S. - Este discurso do Todo-Poderoso está sendo divulgado pela primeira vez em todos os tempos, aqui neste livro. Nunca foi publicado antes, nem mesmo pelo seu órgão oficial, A BÍBLIA."



"Minha cara,

eu te criei porque o mundo estava meio vazio, e o homem, solitário. O Paraíso era perfeito e, portanto, sem futuro. As árvores, ninguém para criticá-las; os jardins, ninguém para modificá-los; as cobras, ninguém para ouvi-las. Foi por isso que eu te fiz. Ele nem percebeu e custará séculos para percebê-lo. É lento, o homenzinho. Mas, hás de compreender, foi a primeira criatura humana que fiz em toda a minha vida. Tive que usar argila, material precário, embora maleável. Já em ti usei a cartilagem de Adão, matéria mais difícil de trabalhar, mais teimosa, porém mais nobre. Caprichei em tuas cordas vocais, poderás falar mais, e mais suavemente. Teu corpo é mais bem acabado, mais liso, mais redondo, mais móvel, e nele coloquei alguns detalhes que, penso, vão fazer muito sucesso pelos tempos a fora. Olha Adão enquanto dorme; é teu. Ele pensará que és dele. Tu o dominarás sempre. Como escrava, como mãe, como mulher, concubina, vizinha, mulher do vizinho. Os deuses, meus descendentes; os profetas, meus public-relations, os legisladores, meus advogados; proibir-te-ão como luxúria, como adultério, como crime, e até como atentado ao pudor! Mas eles próprios não resistirão e chorarão como santos depois de pecarem contigo; como hereges, depois de, nos teus braços, negarem as próprias crenças; como traidores, depois de modificarem a Lei para servir-te. E tu, só de meneios, viverás.

Nasces sábia, na certeza de todos os teus recursos, enquanto o Homem, rude e primário, terá que se esforçar a vida inteira para adquirir um pouco de bens que depositará humildemente no teu leito. Vai! Quando perguntei a ele se queria uma Mulher, e lhe expliquei que era um prazer acima de todos os outros, ele perguntou se era um banho de rio ainda melhor. Eu ri. O homem é um simplório. Ou um cínico. Ainda não o entendi bem, eu que o fiz, imagina agora os seus semelhantes. Olha, ele acorda. Vai. Dá-me um beijo e vai. Hmmmm, eu não pensava que fosse tão bom. Hmmmm, ótimo! Vai, vai! Não é a mim que você deve tentar, menina! Vai, ele acorda. Vem vindo para cá. Olha a cara de espanto que faz. Sorri! Ah, eu vou me divertir muito nestes próximos séculos!"

[Millôr Fernandes]

_________________________

E que seja verdade..
Ou não..

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

59 dias

Hoje é um dia nublado de setembro.
Um dia de pensar..

Será que é certo?
Talvez sim ou talvez não!
Busco respostas a cada segundo.

Não é fácil ser do jeito que o outro queira que você seja..
Não é fácil abdicar de você mesma..
Não é fácil traçar um caminho..
Não é fácil seguir nesse caminho..
E para piorar, não é fácil, desistir desse caminho!

Devo mudar de ares?
Mas, e se esses ares são o que completam, que me fortalecem, que me tornam uma pessoa melhor e feliz?

Estou aprendendo a ser feliz.
E estou aprendendo a não chorar, a não ter medo do passo seguinte e não ter medo de ficar só.

Se for para ser, será...
Mas não desse jeito..
Não assim..
Não...

Quero uma chance de mostrar que estou no caminho certo e que apenas pisei em falso, mas não machuquei nada...

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Quaestio mihi factus sum*

Hannah Arendt expõe no texto retirado do livro de sua autoria “A condição humana” sobre a vida activa e sua relação com as atividades humanas: a morte, a vida, a política, ou seja, todas as coisas que circundam a vida do homem.
A autora expõe que o labor, a tradição e a ação são as três atividades humanas fundamentais, onde, especifica que o labor é a própria vida em si, o trabalho é o responsável por produzir um mundo artificial (mundanidade) e a ação seria a única atividade que exercemos diretamente entre os homens sem a mediação das coisas ou da matéria. Fazendo assim, com que a condição humana da ação seja a pluralidade “pelo fato de sermos todos os mesmos, isto é, humanos, sem que ninguém seja exatamente igual a qualquer pessoas que tenha existido ou venha existir”.
Arendt afirma ainda, que o labor assegura a vida da espécie humana, já o trabalho e seu produto, emprestam permanência e durabilidade à vida e ao caráter do tempo do homem. E ficando a ação, como criadora de condições para que tenhamos lembranças, ou seja, façamos história.
Mas por que tratar sobre a vida activa e a condição humana?
A autora nos responde em uma citação que “os homens são seres condicionados, tudo aquilo com o qual eles entram em contato torna-se imediatamente uma condição de sua existência. E esse pensamento fica claro se voltarmos para a sociedade atual. Viveríamos sem a tecnologia? Sem a internet? Estamos condicionados a esses ‘suportes’? Tudo que espontaneamente entra no mundo humano, ou para ele é trazido pelo próprio esforço humano é considerado pela autora como parte da condição humana, pois a existência humana seria impossível sem as coisas.
O conceito de vida activa permaneceu ligado às coisas que são por si o que são e as coisas que devem ao homem a sua existência, passando a denotar todo tipo de engajamento ativo nas coisas deste mundo e perdendo um pouco do seu significado especificamente político.
Quando a autora equipara a vida activa à conceitos de imortalidade e mortalidade, ela esclarece que o primeiro termo significa continuidade no tempo, vida sem morte nesta terra e neste mundo. Já a mortalidade dos homens reside no fato de que há vida individual com nascimento e morte.
“Politicamente falando, se morrer é o mesmo que deixar de estar entre os homens, a experiência do eterno é uma espécie de morte; a única coisa que separa da morte real é que não é final”. O homem busca a imortalidade deixando vestígios de sua passagem e esse entendimento confirma uma ação da condição humana onde a autora afirma, como foi exposto acima, que ninguém quer ser igual a nenhum outra que já passou por aqui.
“A vida activa, ou seja, a vida humana, na medida em que se empenha ativamente em fazer algo, tem raízes permanentes num mundo dos homens ou das coisas feitas pelos homens, um mundo que ela jamais abandona ou chega a transcender completamente”. Para tal, o homem passa a buscar ser único, buscar uma forma de liberdade e consegue através da política, pois ser livre significa ao mesmo tempo “não estar sujeito às necessidades da vida nem ao comando de outro e também não comandar. Não significava domínio, como também não significava submissão”.
Doar-se para a política como forma de buscar uma ‘liberdade’, fazer algo diferente dos demais, não querer ser igual, não querer ser condicionado a alguma coisa e ainda permanecer imortal na história humana são os desejos de todos os seres humanos que estão inseridos na condição da vida activa.
Arendt finaliza dizendo que a demonstração de que até mesmo esse modo de vida, o mais livre de todos, está ainda, relacionado e subordinado à necessidade de algo maior que a condição humana. O que seria para você?


ARENDT, Hannah. A condição humana. In: A condição humana; tradução de Roberto Raposo. 10 ed. – Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006.

____________________________

*Texto apresentado na disciplina de Filosofia, ética e cidadania da especialização em Cidadania e Cultura da Universidade Federal do Tocantins - UFT.

** Poliana Macedo

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

E já diziam os orientais...

"A união do homem e da mulher é como o encontro do Céu e da Terra
É por causa do correto encontro que Céu eTerra duram para sempre
Humanos esqueceram deste segredo e por isso tornaram-se mortais
Sabendo disso, o caminho da Imortalidade se abre."


(Shang-ku-san-tai)

domingo, 7 de setembro de 2008

Seja um idiota..

A idiotice é vital para a felicidade.
Gente chata essa que quer ser séria, profunda e visceral sempre.
Putz! A vida já é um caos, por que fazermos dela, ainda por cima, um tratado? Deixe a seriedade para as horas em que ela é inevitável: mortes, separações, dores e afins.
No dia-a-dia, pelo amor de Deus, seja idiota!
Ria dos próprios defeitos.
E de quem acha defeitos em você.
Ignore o que o boçal do seu chefe disse.
Pense assim: quem tem que carregar aquela cara feia, todos os dias, inseparavelmente, é ele. Pobre dele.
Milhares de casamentos acabaram-se não pela falta de amor, dinheiro, sexo, sincronia, mas pela ausência de idiotice.
Trate seu amor como seu melhor amigo, e pronto.
Quem disse que é bom dividirmos a vida com alguém que tem conselho pra tudo,soluções sensatas, mas não consegue rir quando tropeça?
hahahahahahahahaha!...
Alguém que sabe resolver uma crise familiar, mas não tem a menor idéia de como preencher as horas livres de um fim de semana?
Quanto tempo faz que você não vai ao cinema?
É bem comum gente que fica perdida quando se acabam os problemas.
E daí,o que elas farão se já não têm por que se desesperar?
Desaprenderam a brincar.
Eu não quero alguém assim comigo. Você quer? Espero que não.
Tudo que é mais difícil é mais gostoso, mas... a realidade já é dura; piora se for densa.
Dura, densa, e bem ruim.
Brincar é legal. Entendeu?
Esqueça o que te falaram sobre ser adulto, tudo aquilo de não brincar com comida, não falar besteira, não ser imaturo, não chorar, não andar descalço,não tomar chuva.
Pule corda!
Adultos podem (e devem) contar piadas, passear no parque, rir alto e lamber a tampa do iogurte.
Ser adulto não é perder os prazeres da vida - e esse é o único "não" realmente aceitável.
Teste a teoria.
Uma semaninha, para começar.
Veja e sinta as coisas como se elas fossem o que realmente são:passageiras.
Acorde de manhã e decida entre duas coisas: ficar de mau humor e transmitir isso adiante ou sorrir...
Bom mesmo é ter problema na cabeça, sorriso na boca e paz no coração!
Aliás, entregue os problemas nas mãos de Deus e que tal um cafezinho gostoso agora?
A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios.
Por isso cante, chore,dance e viva intensamente antes que a cortina se feche!

(Arnaldo Jabor)


_______________________

Então.. o texto do cara..
Muita gente fala mal dele, mas eu gosto de alguns..
nem sempre, é claro...

esse foi um dos que eu gostei e queria dividir com vocês..

é isso.. boa noite!

e para os tocantinenses adotivos ou nativos mesmo..

Bom feriado amanhã.. irú..

*(calor infernal que está aqui!)

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Ele tem TODA razão!

Texto do Jabor.. Bom para mulheres, homens, meninas, meninos.. bom para gente!

________________________________________

Sempre acho que namoro, casamento, romance tem começo, meio e fim.
Como tudo na vida.
Detesto quando escuto aquela conversa: 'Ah,terminei o namoro...'
'Nossa, quanto tempo?' 'Cinco anos...
Mas não deu certo...acabou' 'É não deu...'
Claro que deu! Deu certo durante cinco anos, só que acabou.
E o bom da vida, é que você pode ter vários amores.
Não acredito em pessoas que se complementam.
Acredito em pessoas que se somam.
Às vezes você não consegue nem dar cem por cento de você para você mesmo, como cobrar cem por cento do outro? E não temos esta coisa completa.
Às vezes ele é fiel, mas não é bom de cama.
Às vezes ele é carinhoso, mas não é fiel.
Às vezes ele é atencioso, mas não é trabalhador.
Às vezes ela é malhada, mas não é sensível.
Tudo, nós não temos.
Perceba qual o aspecto que é mais importante e invista nele.
Pele é um bicho traiçoeiro.
Quando você tem pele com alguém, pode ser o papai com mamãe mais básico que é uma delícia. E às vezes você tem aquele sexo acrobata, mas que não te impressiona...
Acho que o beijo é importante...e se o beijo bate...se joga... senão bate...mais um Martini, por favor...e vá dar uma volta.
Se ele ou ela não te quer mais, não force a barra.
O outro tem o direito de não te querer.
Não lute, não ligue, não dê pití.
Se a pessoa tá com dúvida, problema dela, cabe a você esperar ou não.
Existe gente que precisa da ausência para querer a presença.
O ser humano não é absoluto.
Ele titubeia, tem dúvidas e medos, mas se a pessoa REALMENTE gostar, ela volta.
Nada de drama! Que graça tem alguém do seu lado sob chantagem, gravidez, dinheiro, recessão de família?
O legal é alguém que está com você por você. E vice versa.
Não fique com alguém por dó também. Ou por medo da solidão.
Nascemos sós. Morremos sós.
Nosso pensamento é nosso, não é compartilhado. E quando você acorda, a primeira impressão é sempre sua, seu olhar, seu pensamento.
Tem gente que pula de um romance para o outro.
Que medo é este de se ver só, na sua própria companhia?
Gostar dói! Você muitas vezes vai ter raiva, ciúmes, ódio, frustração. Faz parte.
Você namora um outro ser, um outro mundo e um outro universo. E nem sempre as coisas saem como você quer... A
pior coisa é gente que tem medo de se envolver.
Se alguém vier com este papo, corra, afinal, você não é terapeuta. S
e não quer se envolver, namore uma planta. É mais previsível.
Na vida e no amor, não temos garantias.
E nem todo sexo bom é para namorar.
Nem toda pessoa que te convida para sair é para casar.
Nem todo beijo é para romancear.
Nem todo sexo bom é para descartar... Ou se apaixonar... Ou se culpar.
Enfim... quem disse que ser adulto é facil?

(Arnaldo Jabor)

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Rapel na Cachoeira do Roncador - Taquaruçu - Palmas

Taquaruçu - Cachoeira do Roncador

Distrito de Palmas - Tocantins.

Veja o medo no semblante da pessoa.




(medoooooo...)
fingindo normalidade...


tipo.. é alto, hein?


olha ai.. faz direito não..


bora lá?
______________________________


Deu medo..
mas consegui..
80 metros de altura..
hhurúúúúúúúú..

ótimo..
mais um da lista de sonhos da Poli!!
yes!

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Tietando!



meu colega Jornalista - Domingos Meireles
pose durante o 4º Salão do Livro em Palmas - TO

E o mundo dá voltas..

Sabe aquela velha máxima escutada em vários bares, conselhos de mãe, jogatinas da vida de que o mundo dá voltas..
pois é..
dá mesmo..
e completas!
ainda mais quando temos a paciência de esperar ...
porque o tempo é o grande senhor da razão..
tudo se resolve com o tempo... até o que parecia impossível!
(estou filosofando demaissss)

: )

domingo, 4 de maio de 2008

quando os sonhos são apenas sonhos...

por que sonhar?
para que?

se são apenas sonhos..

as metas, essas sim, tomam uma proporção diferente do que os sonhos..

metas = você traça um plano e segue-o!

só isso e pronto!

50% de Êxito e 50% de fracasso..

sonhos só machucam suas metas..

vamos ter metas..

sonhos não..

sonhos são para fracos!

metas para pessoas objetivas!

domingo, 17 de fevereiro de 2008

domingo, 27 de janeiro de 2008

eita!

é bom conhecer pessoas..
amo fazer isso todos os dias...
e o melhor ainda é qndo vc conhece sem querer..
quando liga errado para um numero..
adiciona o msn de alguem..

tudo pode mudar..